Diariamente nos deparamos com várias receitas de felicidade que vão da autoajuda mais óbvia e simplista até grandes emaranhados que nos guiam passo a passo a uma caixinha. Resumindo: é muita cag@ção de regra! E supostamente todas essas regras são para o nosso bem, eu hein.

Só que cansamos de tentar nos identificar com padrões surreais de corpo, de estilo de vida e de performances ou pressões sexuais. Estamos simplesmente exaustas por sentir culpa pela nossa individualidade.

Comeu demais? Culpada! Trabalha muito? Vixi… Desempregada? Tadinha! Tem filhos e trabalha? Nossa! Não tem filhos nem quer ter? NEM OUSE. Tá solteira? Sua hora vai chegar. Quer namorar? Desesperada. Só quer sexo casual? Fácil. Tá namorando? Tem mesmo é que casar. Se masturba? Não quer transar? Frígida.

A Intimité surgiu com a proposta de ser um ambiente seguro que propicie a livre expressão sexual para todxs. O propósito aqui é a individualidade e a regra é respeito – sem julgamentos.

Se você nunca se tocou ou já tentou se masturbar e sentiu ZERO tesão, TÁ TUDO BEM.

Se você nunca alcançou o orgasmo com penetração ou com seu respectivx parceirx, TÁ TUDO BEM.

Se você nunca gozou, TÁ TUDO BEM.

Ser bem resolvida com sua sexualidade é muito bacana, mas não é regra. E, muito menos significa ser sexualmente ativa, uma deusa, uma louca, uma feiticeira na cama ou dominar todos brinquedos disponíveis no mercado.

A proposta é o exercício do autoconhecimento sexual. Descobrir, no seu tempo, o que dá certo ou não, exclusivamente PARA VOCÊ. Sem receitas, com honestidade e paciência. – E temos tanto pra descobrir, né?

A ausência do orgasmo ou do tesão pode estar relacionada a desequilíbrios físicos, emocionais ou a desequilíbrio nenhum. Se você se sente um peixe fora d’água quando o assunto é sexo ou feminilidade porque nunca gozou pode ficar tranquila, isso não te faz mais nem menos mulher.

O “ser mulher” se relaciona à liberdade para quebrar certas imposições. Não precisamos engolir goela abaixo que sexo só é válido quando resulta em orgasmo. Não precisamos fingir. Nossos corpos femininos são complexos e perfeitos por compor universos únicos.

Vou te fazer um convite. Explore as diversas formas de prazer e de quebra desmistifique algumas delas. Se seu prazer não vem – ou ainda não veio – em forma de “gozo”, tá tudo certo.

E como o sexo não é feito só de orgasmo deixa a gente saber o que mais te dá prazer.

Conta pra gente aqui e se quiser uma conversa privada vai no Direct do INSTAGRAM DA INTIMITÉ.

A Intimité agradece e evolui com cada desabado e experiência pessoal compartilhada. #TMJ

 

Fernanda Coutinho, 26 anos, Escritora e Artista

(31) 99506-6165

INSTAGRAM @elasemcores